quarta-feira, 1 de agosto de 2012

A minha extensa lista de agradecimentos

Com esta coisa do Mestrado Integrado (obrigada, Bolonha) e o curso a chegar ao fim, chega também a altura de começar a alinhavar a tese de mestrado. E nas primeiras páginas da tese aparece sempre aquela parte comovente e tocante destinada aos agradecimentos, em que homenageamos aqueles que nos apoiaram ao longo do curso.
Eu já andei a pensar nisso e sinto que há uma data de entidades a quem devo agradecer, porque foram e são essenciais ao meu bom rendimento escolar, mas tenho medo que os professores que a vão ler pensem que sou tolinha (mentira, como é óbvio) e não quero arriscar (porque por acaso gostava muito de acabar o curso e poder exercer sem ser enviada para uma clínica psiquiátrica antes disso). Portanto, vou aproveitar o meu singelo e humilde blogue para dirigir um sentido "obrigada" a quem o merece:

- Aos criadores da Nespresso e, em particular, a quem inventou a promoção através da qual comprámos a nossa cá para casa há uns anitos atrás e, ainda mais em particular, a quem inventou o café. Sem cafeína eu jamais teria passado do 1º ano.
- Aos senhores do Pingo Doce, por produzirem atum bom e barato, ideal para misturar rapidamente com massa e ketchup. Comer torna-se uma necessidade secundária durante as épocas de exames.
- Aos cantores de música parola, em especial aos Los del Rio (grupo que canta a fantástica Macarena). Concentro-me imenso ao som dos vossos êxitos.
- Às televendas, companheiras de muitas noites sem dormir (note-se que vos estou a fazer publicidade, portanto se quiserem ser bonzinhos enviem-me aquela frigideira 100% anti-aderente que vocês dizem que é o máximo. Sempre quis ter uma).
- Ao Facebook: sempre que estou desesperada com uma cadeira, basta-me ir lá e encontro logo meia dúzia de actualizações de estado que denunciam sempre pelo menos meia-dúzia de pessoas tão aflitas como eu, gerando-se uma onda de solidariedade entre nós.
- Ao álcool, com quem sempre comemorei o final das épocas de estudo em jantares animados. Uma óptima maneira de fazer reset a tudo que andei a estudar durante meses.

Pronto, os agradecimentos estão despachados! Só falta fazer o resto da tese, mas isso é a parte mais fácil...

8 comentários:

  1. E às coisas ilícitas? Diz que ajudam a estimular o cérebro e a imaginação :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahahah
      ainda não me tinha lembrado de me virar para aí!
      se ainda só tenho 4 páginas é porque ainda não adicionei estas amigas à lista de agradecimentos! tankiu Wendy xD

      Eliminar
  2. realmente se pusesses esses agradecimentos na tua tese... hum... ia ser estranho eheh ^:)

    ResponderEliminar
  3. Eu cá, quando tenho problemas com cadeiras, se for coisa que se possa colar, vou ao Leroy Merlin e compro cola branca. Se a cadeira já estiver tão estafada que nem com super cola 3 lá vai, vou ao IKEA e compro uma cadeira nova.
    Se eu podia viver sem café?
    Poder podia, mas passava a maior parte do tempo a dormir. lool

    ResponderEliminar
  4. a brincar, a brincar, ainda demorei uns 2 dias a descobrir o que havia de agradecer na dita tese! :P

    ResponderEliminar
  5. ahahah
    eu não tive direito a mestrado integrado mas fui inscrever-me num por vontade própria.
    posto isto, internem-me pq não foi ideia de pessoa normal!

    relativamente aos agradecimentos, vou copiar os teus! ahah

    ResponderEliminar
  6. E agradecimento na Tese às pessoas que frequentam o teu blog? Han?
    NÓS, que estamos aqui, todos os dias, para ler toda a tensão acumulada que tu libertas sob forma de palavras...

    Pondera lá isso..

    ResponderEliminar